Arquitectos em Foco: Ilídio do Amaral

Hoje estreamos na nossa plataforma uma nova categoria intitulada “Arquitectos Em Foco”, a qual pretende fazer uma análise sobre a vida e obra de arquitectos que tenham de alguma forma contribuído para o engrandecimento da profissão. Curiosamente estreamos esta categoria com uma figura que embora não tendo sido arquitecto, contribuiu fortemente para o estudo da arquitectura e urbanismo em Angola, Luanda em especial, e principalmente para o reconhecimento material e imaterial do nosso território.

Doutor Ilídio do Amaral. Fonte aqui

No passado dia 24 de Março, fez exactamente um ano desde o falecimento do Doutor em Geografia e ex-professor universitário Ilídio Melo Peres do Amaral. Nascido em Luanda, aos 3 de Setembro de 1926, dedicou parte da sua vida à docência e investigação, tendo trabalhado como investigador e director-adjunto do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa (Portugal), a mesma aonde se licenciou e doutorou. Foi também o fundador e director do “Centro de Geografia do Instituto de Investigação Científica Tropical” e reitor da Universidade de Lisboa (Portugal), durante o final da década de 1970.

Possui uma vasta obra científica, com temas relacionados a Geografia. Estudou exaustivamente o antigo território português (pré independência das colónias africanas), com especial foco nas regiões tropicais ou antigas províncias ultramarinas de Portugal como Angola e Cabo Verde, que serviram de objecto de estudo durante muitos anos para este distinto geógrafo. Muitos destes, serviram como base para muitos dos estudos contemporâneos para estes, agora, países independentes.

 

Doutor Ilídio do Amaral. Fonte aqui

Luanda, é um destes casos, pois durante as décadas de 1950 e 1970, Ilídio do Amaral desenvolveu vários estudos sobre a então cidade portuguesa, que resultaram na sua dissertação de licenciatura em Geografia com o tema “São Paulo de Assunção de Luanda”, e no livro “Luanda. Estudo de Geografia Urbana”. Este último é uma importante fonte de estudo e dados sobre aquilo que foi a evolução do tecido urbano da cidade de Luanda, e as características da arquitectura praticada na altura. É especialmente importante, pois relata a transição de uma Luanda com características de uma “vila”, para uma Luanda “cidade”, centro urbano contemporâneo, impulsionada pelos edifícios modernos em altura que irromperam um pouco por toda a cidade de então, resultantes de um boom económico que se fez sentir durante o final do segundo quartel do século XX, e se prolongou até bem próximo da independência de Angola. Durante esta época perdeu-se muito património arquitectónico da Luanda velha, que hoje é relatado e estudado muito com base na obra de Ilídio do Amaral.

Fica aqui a nossa singela homenagem a este profissional que embora não tenha sido arquitecto, contribuiu fortemente para o estudo e desenvolvimento da história da arquitectura angolana, e sobretudo para história da cidade de Luanda.

 

Deixar uma resposta

Navegar