Vencedores do Concurso Internacional de Ideias Kaira Looro “Centro Cultural em Sédhiou, Senegal”: Categoria “Prize”

Para fechar, hoje trazemos o último artigo da série vencedores do “Concurso Internacional de Ideias Kaira Looro – Centro Cultural em Sédhiou, Senegal”. Como foi anteriormente dito, foram indicados três projectos vencedores para a categoria “Prize“, pertencentes às equipas: OMONIOALY346 da Itália; LIAOLIALY094 da Itália; e GIOLEZAIN562 da Espanha.

Seguem textos traduzidos e peças desenhadas dos referidos projectos:

Classificado
Equipa: OMONIOALY346, Itália
Projecto por: Giacomo Spanio, Sergiu Cernea, Paolo Reali e Nicola Puppin.

A ideia

A proposta para o novo Centro Cultural de Sédhiou foi desenhada para ser sensível ao contexto e vincular elementos tradicionais a formas modernas. A recolha e purificação da água da chuva com métodos naturais tiveram um papel central durante o processo do projecto. A solução do poço veneziano foi escolhida porque usa areia e argila para purificar naturalmente a água, materiais que podem ser encontrados em Sédhiou. O poço tornou-se um elemento fundamental do edifício, que é construído em torno dele. Assim, o edifício tem um pátio central caracterizado pela presença do impluvium e do poço. O impluvium, que se assemelha ao “Pompeii Domus, tem um duplo propósito. Quando está seco, o impluvium se torna um espaço ao ar livre onde as pessoas podem se sentar à sombra; quando chove, é um tanque onde a água da chuva é recolhida e inicia o processo de purificação da filtragem subterrânea. As paredes de tijolos perfurados do pavilhão e a estrutura da cobertura em bambu nos beneficiam em duas coisas: A primeira é a ventilação natural no edifício; e a segunda é proteger os visitantes da luz solar directa. Portanto, a luz no interior do edifício é difusa e suave. A orientação do edifício e a posição das paredes que o cercam foram projectadas tendo em conta a direcção das “monções” naquela área. Uma parede curva envolve o edifício acolhendo uma área de serviço. Os materiais de construção refletem uma forte relação com o ambiente local e visam reduzir custos e tempo de construção. O edifício é projectado para ter um grande impacto na população de Sédhiou, mas respeita a sua tradição. Destina-se a ser um novo ponto de encontro para as pessoas da cidade, com uma forte atitude moderna nas suas formas, mas respeita o contexto natural e cultural em que é colocado e as técnicas de construção locais.


Classificado
Equipa: LIAOLIALY094, Itália
Projecto por: Giulia Grazioli e Giulia Cascioli.

A ideia

O nosso projecto para o centro cultural na cidade de Sédhiou visa criar um espaço no qual as culturas possam ser transmitidas e disseminadas. O objectivo é elaborar uma arquitectura sustentável que promova o ensino e conservação das tradições através do uso de materiais encontrados nas proximidades. Uma arquitectura que deve ser social e economicamente sustentável, dada a utilização das diversas actividades que ocorrem na região, como a agricultura e o artesanato.
Na região de Sédhiou existem várias espécies de árvores usadas para a produção de materiais de construção; o processamento de tecidos também é importante, através de técnicas transmitidas por séculos. O projecto se desenvolve longitudinalmente ao longo do lote, onde trabalhamos adicionando e subtraindo volumes. Adições no que diz respeito aos quatro volumes com as funções dos edifícios; e subtrações resultando em  espaços externos, como jardins. Acima desses volumes, inserimos uma grande estrutura de madeira. A área coberta tem 518 metros quadrados, enquanto o espaço aberto é de 397,7 metros quadrados. No interior dos 4 volumes projectamos espaços de exposições, pequenos escritórios, instalações sanitárias e espaços onde as tradições e a cultura do lugar são aprendidas e transmitidas.


Classificado
Equipa: GIOLEZAIN562, Espanha
Projecto por: Sergio González Torres, Ana Méndez Garzo e Santiago Cañete Sánchez.

A ideia

O projecto é proposto devido à escassez de espaços públicos fechados na região de Sédhiou. Um centro comunitário é exigido pelo concurso como um ponto de encontro para preservar as tradições culturais. Um pátio central define o lugar onde a condição espacial da estrutura é projectada em virtude da estrutura social. A proposta é um protótipo económico e sustentável que serve a população com a construção de espaços confortáveis ​​e adaptados ao local, onde eles podem compartilhar uma vida comunitária. O sistema construtivo flexível permite uma variedade de configurações e actividades espaciais, misturando áreas com diferentes níveis de privacidade e relação entre o interior e exterior. O centro comunitário é projectado por filtros que abrangem áreas de actividade distribuídas em plataformas ao redor do pátio central. O sistema de construção inclui uma estrutura espacial em madeira, painéis têxteis e paredes de terra batida feitas com materiais locais. A cobertura, inclinada e com diferentes alturas, protege os espaços da chuva e do sol, feito por folhas de palmeira. As paredes são cortadas um pouco antes de chegar ao tecto proporcionando o arrefecimento passivo dos compartimentos. A estrutura repousa sobre estacas, plataformas de madeira que permitem que o vento flua por baixo, ajudando a arrefecer o solo. Esta elevação também protege o edifício de tempestades, enchentes e animais. Painéis de ripas criam sombras no interior e painéis têxteis suavizam a luz do sol, criando lugares confortáveis ​​para conversar, aprender, ler e compartilhar. O projecto propõe diferentes espaços e ambientes de qualidade, com o objectivo de melhorar as relações sociais.

Deixar uma resposta

Navegar