Centro de Saúde da Mulher: FAREstudio

Arquitecto(s): FAREstudio
Localização: Ouagadougou, Burkina Faso
Ano: 2015-2017
Área: 1.600 m²
Programa: Centro Comunitário
Estado: Construído


O Centro de Saúde da Mulher em Burkina Faso, é um projecto criado  em parceria com uma ONG italiana, AIDOS, que luta pelos direitos das mulheres nos países em desenvolvimento. O projecto AIDOS é um entre vários programas internacionais do grupo, focado em abrandar a difusão da Mutilação Genital Feminina / Excisão [FGM]. O Centro de Saúde da Mulher conta com uma área total de 1.600 m² destinados a promover os direitos das mulheres, especialmente no que respeita ao seu bem-estar sexual e reprodutivo.

Vista Geral do Centro de Saúde das Mulheres. Fonte aqui.

O programa social / serviços de saúde desenvolvido pela AIDOS, juntamente com os seus parceiros locais, centra-se na prestação de serviços educativos, informação e consciencialização sobre os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres no Sector 27 de Ouagadougou, uma área urbana periférica colonizada por uma população rural. O projecto arquitectónico é uma resposta directa a um programa social que exigia a realização de um complexo de edifícios capaz de abrigar uma variedade de actividades em circunstâncias muito adversas.

O projecto foi desenvolvido em dois edifícios separados a partir de um esquema muito simples e adaptável: uma plataforma plana elevada, destinada a manter a sujidade do solo, protegida por uma espécie de guarda-chuva enorme que protege da luz directa do sol sem interferir no vento e na ventilação. No meio, isolado do pó e da lama e à sombra do vértice superior, pequenos volumes separados feitos de tijolos de terra comprimida feitos localmente são dispostos livremente nas plataformas como caixas coloridas separadas por corredores abertos ventilados.

Entrada do Centro de Saúde das Mulheres. Fonte aqui.

É um complexo com um controle climático passivo eficaz e espaços flexíveis com vários graus de privacidade; um edifício funcional que corresponde eficientemente ao seu propósito, uma aparência amigável e divertida que acolhe clientes e pacientes, e áreas exteriores verdes concebidas como um espaço público para pequenos eventos abertos a toda a comunidade.

Problemas relevantes:

  • Pro bono design e doador privado: as pré-condições essenciais e contraditórias para a capacidade do arquitecto de contribuir para uma iniciativa bem-sucedida?
  • Inovação tipológica contra os “padrões” de construção local: os hábitos são difíceis de mudar.
  • Estratégias de controle ambiental activamente transformadas em forma arquitectónica.
  • A introdução de novas tecnologias: colisão com o contexto e habilidades locais da construção.

O controle de temperatura, talvez a questão climática mais significativa, influenciou fortemente o design geral. A estratégia adoptada, baseada na observação de hábitos locais, inclui:

  • orientação de construção, como uma estratégia para reduzir os efeitos do vento quente e tirar proveito do sombreamento mútuo
  • sombreamento superior, a fim de proteger materiais pesados ​​contra a exposição directa ao sol e super-aquecimento
  • uso extensivo de janelas operáveis ​​e lacunas entre os elementos, a fim de melhorar a ventilação natural
  • criação de espaços de transição, como varandas ou pátios, visando proporcionar vários graus de bem-estar ambiental
  • combinação de materiais pesados ​​e leves, a fim de dosear o isolamento térmico e a ventilação natural
  • uso de vegetação, com o objectivo de melhor regular o clima micro global

O projecto baseia-se na separação das principais actividades realizadas pela CBF em dois edifícios distintos, embora estreitamente relacionados: um Centro de Treinamento, dedicado a actividades de  consciencialização, e um Centro de Consultoria, onde são fornecidas à comunidade visitas médicas, assistência jurídica e o aconselhamento psicológico, quase de graça.

Articulação da entrada com os edifícios. Fonte aqui.

Os volumes que contêm as diferentes salas são independentes da estrutura do tecto do guarda-chuva, colocados no topo da plataforma e livremente articulados em torno de uma série de pátios sombreados e ventilados que garantem a privacidade do exterior.

A configuração modular da estrutura permite expansão futura, preservando a estrutura geral do edifício.

População local a participar na construção do edifício. Fonte aqui.

As paredes do edifício são construídas usando BTC [blocos em terra compactada], tijolos de barro feitos no local usando uma mistura grosseira de terra, areia e água estabilizada com cimento e comprimida com uma prensa hidráulica. A fabricação desses tijolos não consumiu energia adicional [transporte e / ou cozimento], limitando o impacto ambiental de toda a intervenção.

A parede exterior, terminou em gesso brilhantemente pintado. O slogan da ONG local, traduzido em 5 idiomas, completa a decoração das paredes, transformando todo o edifício em uma grande tela que transmite os objectivos sociais da estrutura de maneira informal.

Fachada do edifício com o slogan da ONG traduzido em vários idiomas. Fonte aqui.

Concluída em 18 meses por um construtor local, trabalhando sob a supervisão directa do FAREstudio, a CBF é uma resposta funcional e económica para as necessidades expressas pela AIDOS, representando simultaneamente e principalmente um centro de agregação e identidade para toda a comunidade local. As respostas tecnológicas e tipológicas oferecidas pelo projecto, a par dos seus objectivos sociais, representam uma abordagem inovadora das práticas tradicionais de construção local, apresentadas como expressão formal natural das mudanças e novas abordagens promovidas pela AIDOS.

Os edifícios estão protegidos das chuvas e, acima de tudo, da luz solar directa, por um toldo de PVC leve e impermeável, apoiado por uma estrutura independente de “árvores” de aço. Esta lona inclinada faz parte de um sistema que recolhe e armazena a água da chuva para irrigar o jardim.

Modelo tridimensional do projecto. Fonte aqui.

Os sistemas integrados para o controle regular do consumo de energia são acompanhados pela auto-produção de energia: a água é fornecida por um poço recém-perfurado e dedicado, e as células foto-voltaicas foram instaladas ao longo da parede do perímetro, reduzindo o uso do gerador de energia. A eliminação do condicionamento de ar mecânico [limitado a salas médicas para garantir o ar filtrado] é talvez a conquista mais importante do projecto em termos de sustentabilidade ambiental.

A CBF, vencedora do prémio da categoria HEALTH no World Architecture Festival de Barcelona 2008, foi finalista entre os finalistas do Prémio Aga Khan de 2010.

Em 2014, a CBF foi seleccionada como um dos Laureados do Prémio Europeu de Arquitectura Philippe Rotthier.

 

Deixar uma resposta

Navegar