Centro Cultural Sédhiou: AMKNA Design Studio

Arquitecto(s): AMKNA Design Studio
Localização: Sédhiou, Senegal
Programa: Centro Cultural
Prémios: Finalistas para o Festival Mundial de Arquitectura 2018: Projecto Cultura; Categoria:Futuro


O projecto do Centro de Sédhiou é um centro cultural que foi desenvolvido no âmbito do Festival Mundial de Arquitectura do ano de 2018.

Cartaz do Festival Mundial de Arquitectura. Fonte aqui.

Segue a tradução livre da descrição dos autores:

Introdução

Culturas de cem anos dão origem a comunidades, sendo transmitidas através de rimas de quem está a narrar e a interpretar o passado através da sabedoria.

As suas realizações resultam de rituais e metamorfoses que unem o ser humano às suas próprias raízes através da dança, história, música, coroes, sabores, materiais e paisagens.

O espaço e a matéria relacionam-se com  poder dos rituais, reunindo as linhas de uma arquitectura marcada pela passagem e preservação da história.

Perspectiva do Centro Sédhiou. Fonte aqui.

Tema do design

A área de intervenção representa um terreno fértil de culturas seculares, ricas em rituais e experiências que vêm de pai para filho e contando histórias sobre o continente africano. As culturas aqui misturam-se harmoniosamente dentro de um ambiente cheio de experiências. Alguns desses grupos étnicos são profundamente enraizados na história e, como nunca tiveram arquivos ou trabalhos escritos, eles passaram essas histórias apenas graças a palavras vindas dos anciãos. Os efeitos da globalização  reflectem-se hoje nas comunidades, colocando os rituais antigos e a preservação das identidades culturais em risco. A cidade de Sédhiou não tem um lugar onde possa deixar as marcas da cultura e hábitos da sua comunidade nem espaço onde a comunidade se possa relacionar e expressar através das artes e da arte em que a região é rica. Surge, portanto, a necessidade de projectar um local de encontro, que promova a cultura e o testemunho de um local colocado em discussão durante os conflitos regionais ocorridos entre 1980 e 2005.

Perspectiva do Centro Sédhiou. Fonte aqui.

Hábitos locais

O edifício mostrará o seu tema através de um design surpreendente e integrado ao mesmo tempo, desenvolvendo uma estrutura destinada a ser um ícone para todo o país, sem pesar sobre o meio ambiente. A estrutura arquitectónica exigirá três áreas principais projectadas para Educação, Exposições e Performances, para além do Departamento de Gestão e a Instalações Sanitárias.

  • Um apelo à intervenção económica e sustentabilidade;

  • A necessidade de lidar com assuntos como timming ou problemas ligados ao desenvolvimento da estrutura a ser definida dentro de uma área onde não exista força de trabalho especializada. Pela mesma razão, projectos que demonstrem cuidado com o desenvolvimento de aspectos de tempo, auto-construção e implementação serão encorajados;

  • A preferência de materiais locais e naturais, sendo fornecidos a partir de áreas circunvizinhas e, ocasionalmente, a reutilização de resíduos.

Vista interior do Centro Sédhiou. Fonte aqui.

Localização 

A área projectada está localizada no centro administrativo de Sédhiou. A cidade tem entre 22.000 habitantes, num contexto regional de 420.000, espalhados em diferentes aldeias.

De 1980 a 2005, a região de Casamança, localizada no extremo sul do Senegal, passou por uma guerra cujo número de vítimas chega a mais de 20.000 evacuados e 5.000 mortos. O rio Casamance dá o mesmo nome a toda a região, cortando as regiões administrativas de Ziguinchor, Kolda e Sédhiou.

Diferentes espécies arbóreas crescem em Sédhiou. Muitas árvores são usadas para produzir materiais de construção; As árvores Kahya Senegalensis, Kapok, Dimb, Palm e Fromager são alguns exemplos.

Painel do conceito do centro de Sédhiou. Fonte aqui.
Painel do ilustrativo do centro de Sédhiou. Fonte aqui.

Conceito de design

A crise da água – é uma crise em grande parte silenciosa. Todos os anos, cerca de 3,4 milhões de pessoas morrem de doenças associadas a abastecimento de água, saneamento e higiene inadequados. Esses problemas de água e saneamento afectam desproporcionalmente mulheres e crianças.

O projecto para o centro de cultura evoluiu de uma longa lista de parâmetros, incluindo custo, clima, disponibilidade de recursos e viabilidade de construção. O sucesso do projecto baseou-se em abraçar e negar essas restrições. A fim de maximizar os resultados com os recursos mínimos disponíveis, uma construção híbrida de argila / lama foi usada principalmente. A argila é abundantemente disponível na região e é tradicionalmente usada na construção de habitações.

Centro de Sédhiou, detalhe. Fonte aqui.

Material e estrutura

O bambu pode ser utilizado como material de construção, como andaimes, pontes e casas. O bambu, como a madeira verdadeira, é um material compósito natural com uma alta relação resistência-peso útil para estruturas.

O bambu tem uma maior resistência à compressão do que a madeira, tijolos ou concreto e uma resistência à tracção que rivaliza com o método de construção barato e sustentável enquanto usa esse método de construção “de novas maneiras inventivas, permitindo que os moradores empurrem tradições e lhes dê um espaço para se orgulharem do.”

 

Deixar uma resposta

Navegar