Teoria de Lisandra Gomes: “A Pegada Ecológica e a Arquitetura Sustentável do Século XXI: Proposta de uma Escola Secundária e Envolvente em Canchungo, Guiné-Bissau”

Para esta edição do “Teoria de“, trazemos a dissertação de mestrado da arquitecta guineense Lisandra Gomes, intitulada “A Pegada Ecológica e a Arquitetura Sustentável do Século XXI: Proposta de uma Escola Secundária e Envolvente em Canchungo, Guiné-Bissau”, desenvolvida na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa, que teve como orientador o Prof. Doutor João Filipe Ribeiro Borges da Cunha.

Segue um pequeno trecho da dissertação para vossa leitura:

Ortofotomapa: Localização da Capital, Bissau (a azul) e a cidade de Canchungo (a vermelho); Fonte: Google Maps, posteriormente trabalhada por Lisandra Gomes

A arquitetura sustentável implica o conhecimento da realidade do território onde se vai desenvolver o projeto de arquitetura, e nesse sentido, importa conhecer a história, a política, a economia e a demografia do país, para construir de forma sustentável e rentabilizar os recursos energéticos e materiais existentes. A Guiné-Bissau é composta por uma grande diversidade étnica e essa realidade adequa-se ao clima tropical e enquadra-se nos quatro tipos arquitetónicos presentes e contemplados por este estudo, no entanto, o novo paradigma da arquitetura sustentável determina o repensar da forma de projetar, de construir e dos materiais a utilizar.

A ideia de projetar uma escola em Canchungo, na Guiné-Bissau surge da necessidade de dotar este país de uma infraestrutura escolar bem como a envolvente habitacional fazendo uso destes conceitos.

Lisandra Gomes, Lisboa, 2017 (um trecho do resumo da dissertação)

Ortofotomapa da Cidade de Canchungo;
Fonte: Google Maps, posteriormente trabalhada por Lisandra Gomes

A indispensabilidade de começar a partir de hoje a pensar executar uma construção sustentável que possa reduzir o impacto que qualquer projeto provoca em termos da biodiversidade e do meio ambiente e da degradação da natureza, torna urgente que o conceito seja aplicado, porque cada um de nós é responsável na sua quota-parte por essa destruição.
Os estudos encetados quer pelas organizações internacionais quer nacionais tem demonstrados de forma clara, que não é possível ignorar esta realidade, correndo-se o risco de acabar com as espécies existentes no Planeta.
Consideramos, no entanto, que existem cinco elementos sobre os quais deve existir uma reflexão, e que são: 1) a aplicação de técnicas que se adequem ao local a construir de acordo com a localização; 2) as condições económicas e o contexto social; 3) sempre que possível e no caso de já existir uma ou mais construções, proceder ao reaproveitamento com uma nova funcionalidade; 4) os materiais a aplicar na construção deve ter em conta a durabilidade e a quantidade que existe deste; 5) os materiais a aplicar na construção devem ter em conta a durabilidade e a quantidade para que desta forma resistam durante o maior período de tempo e provoquem um menor desgaste ambiental.

Lisandra Gomes, Lisboa, 2017 (um trecho da conclusão da dissertação)

Implantação proposta – Escola Secundária e Envolvente em Canchungo, Guiné-Bissau. © Lisandra Gomes

Para ler a obra na íntegra, deixamos aqui o link para download e/ou leitura da dissertação. Caso queira ver publicado na nossa plataforma um artigo ou trabalho seu, envie-o para o geral@thesanzala.com.

Deixar uma resposta

Navegar