Creche Silindokuhle: Collectif Saga

Arquitecto(s): Collectif Saga
Localização: Joe Slovo, Port Elizabeth, África do Sul
Ano: 2016-2017
Cliente:  Patricia Piyani
Programa: Creche e outros
Área Bruta: 220,00 m2
Estado: Construído.


Silindokuhle é uma creche localizada no bairro de Joe Slove, um dos maiores assentamentos informais da África do Sul, com cerca de 20.000 habitantes. Patricia Piyani, uma moradora local, fundou a creche e uma cozinha, onde cuida diariamente de crianças da comunidade. À medida que a escola se tornava popular, aumentava a necessidade de instalações mais permanentes. O atelier Saga levou a cabo um estudo local, dos seus recursos e do povo, e resolveu apresentar uma proposta. O projecto foi desenvolvido colectivamente e foi construído de forma experimental, com materiais recolhidos na área e reutilizados para a construção de uma nova estrutura.

Creche Silindokuhle. © Gorka Biurrun

Segue a tradução livre do texto extraído do site do atelier:

Joe Slovo West, bairro em pleno desenvolvimento e renovação, canteiro de obras de casas construídas pelo governo, para substituir barracas, literalmente “barracas”, que existiam no local. A população desfavorecida da África do Sul que se encontra num processo de reconstrução, cuja a espera é finalmente recompensada pela unidade arquitectónica do RDP, unidade construída com milhares de cópias, sem distinção, de forma indiscriminada, apressada, dado o elevado número e a  emergência do processo.

Vista panorâmica de Joe Slove. © Joubert Loots
Vista panorâmica de Joe Slove. © Joubert Loots

A vida, nestas condições, não pára, não continua; ela é, ela está presente, activa, resoluta, determinada e voluntária. Patricia Piyani, directora de uma creche neste distrito, por sua iniciativa, recebe crianças de 1 a 6 anos há dez anos. Uma mulher a quem o direito a ser educada não foi dado, agora está sobrecarregada por seus meios diante da afluência sempre crescente de crianças na sua creche, sonhando com o que ela não teve.

Somente com eles, para eles, nós, juntos, questionamos o que está lá, o que não está, ainda não. Nós participamos de todo um mundo desconhecido que aprendemos, por pequenos solavancos.

Comunidade de Joe Slove. © Camille Mérimèche
Vista panorâmica de Joe Slove. © Joubert Loots

Edifício de construção, resultante no auge das energias desdobradas. Humano significa, ao nível do conhecimento e dos desejos, empreender juntos o desenho e a construção de um abrigo adaptado à ordem generosa. As mãos que acompanham e montam, explicam e compartilham. Conhecimento e know-how são numerosos, úteis, práticos e mobilizáveis. Os recursos de materiais estão crescendo, recuperando-se em vários locais, reutilizando, reinventando destinos, para aplicações futuras que são mais amplas do que apenas a construção iniciada.

A creche em construção. © Yasmina Gonzalez
A comunidade envolvida na construção. © Yasmina Gonzalez
A creche em construção. © Yannis Frémont Marinopoulos

Oferece as circunstâncias de uma educação para a vida, as preciosas experiências de eras iniciais, amplas paisagens emolduradas, jogos de sombras e luzes, raios de sol que aquecem o corpo, ventos frescos que suavizam o ar. Materiais brutos impostos pelo nosso método de recuperação, eles são indisfarçados, picam, arranham, aquecem, amolecem. Dimensões livres de normas, generosas ou constrangedoras, na escala da história que foi construída. Três classes, um escritório, I.S’s e uma área de cantina – playground, jogos; abrigo que se adapta às realidades dos sonhos das crianças.

A creche em construção. © Yasmina Gonzalez
Estrutura Cobertura. © Camille Mérimèche
A creche em construção. © Yasmina Gonzalez
A creche em construção. © Joubert Loots
Creche Silindokuhle. © Gorka Biurrun
Creche Silindokuhle. © Joubert Loots
Creche Silindokuhle. © Joubert Loots
Creche Silindokuhle. © Joubert Loots
Planta de Localização. © Collectif saga
Planta de Piso. © Collectif saga
Corte em Perspectiva. © Collectif saga
Diagrama Axonométrico. © Collectif saga

 

Deixar uma resposta

Navegar