Teoria de Marco Branquinho: “Arquitetura Sustentável em Climas Tropicais. Escola de Ensino Básico para Luanda”.

Para esta edição do “Teoria de“, trazemos a dissertação de mestrado do arquitecto angolano Marco Branquinho, intitulada “Arquitetura sustentável em climas tropicais: escola de ensino básico para Luanda“, desenvolvida na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa (Portugal), e que teve o Prof. Doutor António Santa-Rita como tutor. Deixamos aqui um pequeno trecho da dissertação para vossa leitura:

“Entrada principal da Escola”. © Marco Branquinho.
“Pátio comum e campo multidesportivo”. © Marco Branquinho.

As questões relacionadas com a preservação do ambiente estão cada vez mais presentes e no ramo da arquitetura e construção civil não é diferente, visto que são um dos principais responsáveis pelos impactos negativos no ambiente. O presente trabalho apresenta um estudo sobre a sustentabilidade na arquitetura em regiões com climas tropicais, tendo como caso de estudo a cidade de Luanda. Para suprir os objetivos realiza-se primeiramente uma contextualização do tema procurando os perceber os princípios e o conceito da sustentabilidade na arquitetura, servindo como premissa para se perceber a abordagem feita à arquitetura tropical. Posteriormente são demonstradas as estratégias de projeto para se obter um edifício sustentável bem como as suas condicionantes, desde a sua conceção à escolha dos materiais construtivos. De modo a obter-se uma compreensão prática dos assuntos abordados, é feita uma análise à sustentabilidade da arquitetura em Angola e por fim é desenvolvido um projeto arquitetónico para uma escola de ensino básico para Luanda que reúne as estratégias referidas e que foram o resultado também da análise de casos de estudo comparativos.

Marco Branquinho, Lisboa, 2017 (resumo da dissertação)

“Esquema de ventilação do edifício”. © Marco Branquinho

Entretanto, as estratégias de projeto resumem-se à obtenção de um design passivo/inteligente e na procura de soluções construtivas sustentáveis, em que no primeiro caso se consideram como mais importantes a orientação e forma adequadas, o sombreamento e o sistema de ventilação eficazes. E a nível de soluções construtivas, a preferência por materiais locais (arquitetura vernacular) é indispensável. Para este trabalho interessou estudar a terra como material de construção, visto que em Angola é corrente e já muito usado em construções tradicionais, chegando-se a conclusão que é um material que proporciona um excelente conforto térmico, é duradouro, de boa conservação e com impactos ambientais quase nulos.

Numa fase em que o país está em reconstrução e a atravessar um período de crise económica chegou-se a conclusão que é preocupante a fraca procura por soluções sustentáveis nas edificações, pois pensa-se que teriam um impacto positivo na economia nacional, visto que Angola é um país que apresenta condições atmosféricas favoráveis e vasta variedade de recursos naturais que devem ser melhor explorados. Tais soluções podemos constatar nos casos de estudo apresentados.

Por fim, a proposta da escola de ensino básico apresentada permitiu por em prática os conhecimentos adquiridos com a pesquisa, conseguindo-se um projeto com estratégias bem pensadas tanto na conceção como na construção, adaptadas ao local e suas condicionantes, permitindo concluir que se trata de um projeto que em relação às instituições escolares em Luanda analisadas, apresenta custos significativamente mais reduzidos e com melhores condições para os seus utentes. Em suma, acredita-se que pode ser um modelo a seguir para suprir a carência de estabelecimentos escolares que atualmente existe em Angola contribuindo para um desenvolvimento sustentável.

Para trabalhos futuros, sugere-se que se faça uma investigação mais profunda sobre os materiais locais disponíveis em Angola, buscando uma arquitetura o mais vernacular possível, visto que este trabalho se focou mais sobre as estratégias de projeto em relação ao design inteligente. Também, se sugere a exploração de outros programas de projeto procurando criar outros modelos de equipamentos que país carece.

Marco Branquinho, Lisboa, 2017 (um trecho da conclusão da dissertação)

Para ler a obra na íntegra, deixamos aqui o link para download e/ou leitura da dissertação. Caso queira ver publicado na nossa plataforma um artigo ou trabalho seu, envie-o para o geral@thesanzala.com.

Deixar uma resposta

Navegar