KN10: Costa Lopes

Arquitecto(s): Costa Lopes
Localização: Luanda, Angola
Ano: 2009
Programa: Escritórios
Área:  4.221 m2
Estado: Construído


Destacando-se como um dos primeiros edifícios concluídos do Atelier Costa Lopes, em Luanda, o KN10, nome obtido pela rua onde se localiza, Kwame Nkrumah, impôs-se na altura como uma verdadeira escultura edificada, não só pela sua fachada escalonada, mas também pela materialidade plástica do betão, que aqui foi usado de forma crua, aparente. A fachada, de expressão austera, ganha ritmo com a aparente sobreposição dos 10 módulos de betão (10 pisos), que se diferenciam pela direcção dos ângulos que criam entre si.

Vista frontal do edifico © Manuel Correia

Segue o texto dos responsáveis do projecto, extraído do seu site oficial:

O Edifício KN10 – dos primeiros concluídos pelo escritório e que acolhe a sede COSTA LOPES –fundamenta-se, por um lado, na localização na rua Kwame N’Krumah, frontal à rua Moisés Cardoso, que continua a linha de festo da chamada cidade alta (uma das matrizes urbanas de Luanda), entre expetativa de generosas vistas sobre Luanda. Por outro, no programa de escritórios genérico, sem história, mas que respondia, à época, à falta de espaços terciários qualificados. Por outro, ainda, a incerteza diante da transformação dos lotes vizinhos.

A partir do pórtico horizontal, circunscrito no lote e muito fluido sobre a rua, sobrepõem-se 10 módulos funcionais com escritórios em open-space(uma ou duas frações com copas) e servidos por núcleo central de acessos verticais (escadas e elevadores, com instalações sanitárias por patamar). Existem, ainda, 3 pisos subterrâneos para estacionamento e áreas técnicas.

As fachadas em fole, muito escultóricas, resultam da sobreposição e da fisicalidade do betão-armado aparente. Cada módulo distingue-se nas angulações diversas dos respetivos topos distendidos, vítreos de lado a lado. Asseguram alguma mediação ambiental, autonomizam-se perante a transformação vizinha e mantêm forte presença urbana.

O KN10 revela-se de dentro para fora e vice-versa. Debruça-se sobre a cidade, sobretudo nos seus últimos pisos, desde a ilha do Cabo até ao hinterland dos musseques. Permite-se à cidade, fluindo nesta e revelando os ambientes de trabalho a partir do espaço público.”

Pormenor fachada I © Manuel Correia
Pormenor fachada II © Manuel Correia
Vista geral e envolvente © Fabrice Fouillet
Pormenor Fachada III © Manuel Correia
Pormenor fachada IV © João Freire
Pormenor fachada V © Manuel Correia
Interior edifico © João Freire
Planta de localização © Costa Lopes
Planta de implantação © Costa Lopes
Piso térreo © Costa Lopes
Piso Tipo © Costa Lopes
Alçado geral © Costa Lopes
Corte longitudinal © Costa Lopes

Deixar uma resposta

Navegar