Arquitectos em Foco: Demas Nwoko

Nascido no ano de 1935, em Idumuje Ugboko, Demas Nwoko é um artista, arquitecto e designer nigeriano. É maioritariamente conhecido no seu país pelo seu trabalho artístico e sendo parte integrante e/ou fundador de grupos/movimentos artísticos como o The Zaria Art Society (fundando em 1958 em Zaria, Nigéria, também conhecidos como Zaria Rebels) e o The Mbari Club (fundando em 1961 em Ibadan, Nigéria, pelo escritor, editor e académico judeu-alemão, Ulli Beier) Demas Nwoko ajudou a moldar a identidade artística nigeriana pós-colonial e africana no geral, especialmente da região subsariana. É por isso um dos mais importantes nomes da arquitectura africana e dos mais aclamados do nosso “star system”.

Demas Nwoko (último à direita) e alguns contemporâneos seus. Da esquerda para a direita: J.P Clark (The Mbari Club); Yusuf Grillo (The Zaria Art Society); Oseloka Osadebe (The Zaria Art Society); Sandra Mbanefo Obiago e Bruce Onobrakpeya (The Zaria Art Society). Fonte aqui

Nwoko passou toda a sua infância na sua terra natal e em 1956 muda-se para Zaria, aonde inicia os estudos em Artes Plásticas na Faculdade de Artes, Ciências e Tecnologias (actual Universidade Ahmadu Bello). É nesta altura, finais da década de 1950, que juntamente com outros jovens artistas, movidos pelo fervor nacionalista e aspiração independentista, formam a Art Society, que se tornou conhecida pela sua filosofia “Natural Synthesis” (Síntese Natural, em tradução directa). Nesta altura, a sua obra, artística, é muito influenciada pela cultura Nok, uma civilização do início da Idade do Ferro do norte da Nigéria, que viveu entre os anos 1.500 A.C e 500 D.C. No início da década de 1960 recebe uma bolsa do Congresso de Liberdade Cultural para estudar no Centro Francês de Teatro, em Paris, França, aonde aprende design cénico.

Demas Nwoko. Fonte aqui

Após terminar os estudos em Paris, Nwoko regressa à sua terra natal, Nigéria, e vai viver para Ibadan, aonde passa a leccionar na Universidade de Ibadan e a projectar cenários para o Departamento de Drama da universidade. Na altura, por falta de recursos para construir ou comprar uma casa convencional, decide construir a sua casa com materiais e técnicas tradicionais, usando recursos locais como o bloco de adobe. Esta abordagem pouco convencional e experimental da arquitectura levou-o ao seu primeiro grande projecto, a Capela Dominicana de Ibadan para o Instituto Dominicano da Nigéria em 1977. Nesta obra, Nwoko, mistura uma linguagem arquitectónica moderna, elementos de cenografia e tradição africana, abordagem que viria a caracterizar toda a sua obra.

Capela Dominicana I, Demas Nwoko. Fonte aqui

 

A casa de Demas Nwoko. Fonte aqui
New Culture Studio, Demas Nwoko. Fonte aqui
Centro Cultural Akenzua, Demas Nwoko. Fonte aqui

Entre as suas obras mais conhecidas, temos o New Culture Studio, o Centro Cultural Akenzua e o edifício do Workshop de Bruce Onobrakpeya, também conhecido como Edifício Hammatan Workshop. Ao longo da sua vida tem recebido vários prémios, principalmente por causa da sua actividade artística e da sua contribuição para o desenvolvimento cultural do seu país e de África no geral. Tal como acontece com muitos arquitectos, artistas e africanos no geral, o trabalho de Nwoko é pouco conhecido e divulgado no mundo, contundo, foi editado no ano de 2007, pela Farafina Books, o livro com o título “The Architecture of Demas Nwoko” (A Arquitectura de Demas Nwoko, em tradução directa), escrito pelos arquitectos británicos John Godwin OBE e Gillian Hopwood, aonde é abordada a prática e a teoria de Demas Nwoko através das suas obras.

Capela Dominicana II, Demas Nwoko. Fonte aqui
Centro Cultural Akenzua, Demas Nwoko. Fonte aqui

Algumas obras de arte de Demas Nwoko. Fonte aqui

Segue o vídeo disponibilizado pelo canal da DW News na plataforma YouTube, sobre a sustentabilidade duma das obras de Nwoko:

 

1 Comentário

Deixar uma resposta

Navegar