Vale dos Artesãos: Atelier Masōmī

Arquitecto(s): Atelier Masōmī
Localização: Niamey, Níger
Programa: Mercado / Espaço Público
Arquitecto(a) Líder: Mariam Kamara
Equipa de Design: Mariam Kamara, Fatima Adam, Oumou Soumaré
Área: 5.200,00 m2
Estado: Projecto.


O Vale dos Artesãos é um projecto de espaço público concebido para a cidade de Niamey, Níger, pelo Atelier Masōmī, liderado pela arquitecta nigerina Mariam Kamara. Desenvolvido numa faixa estreita com cerca de 5.200 m2, o programa integra espaços de estar, de recreação para crianças, teatro ao ar livre, e espaços para vendedores de alimentos, contudo, a sua concepção tem como principal objectivo expor a arte artesã no meio urbano “como experiência cultural para os seus habitantes“, de forma a promover o turismo na cidade.

Vista aérea do Vale. © Atelier Masōmī

Segue a tradução livre do texto retirado do site do atelier:

O Vale dos Artesãos é um novo projecto de espaço público para Niamey dentro do vale Gounti Yenna , que actualmente divide a cidade em duas áreas distintas. É um passeio caprichoso que incorpora espaços para os artesãos locais mostrarem seus processos tradicionais de fabricação, enquanto aumentam as suas perspectivas económicas. Em vez de estarem em áreas escondidas na cidade, aonde apenas turistas vão, têm a oportunidade de fazer parte da paisagem urbana como uma experiência cultural para os seus habitantes.

O projecto foi pensado como uma instalação permanente de grande escala, semelhante a um “Happening”, no meio da cidade. Consiste numa série de conchas aparentemente frágeis, inspiradas nos aglomerados de celeiros cilíndrico de argila, das áreas rurais do Níger. O passeio é salpicado com conchas perfuradas semi-circulares feitas de tijolos de adobe, que abrigam boutiques artesanais em alguns casos e, noutros, espaços de recreação para crianças ou um anfiteatro ao ar livre que traz vida adicional ao local durante a noite.

Boutiques, artesãos. © Atelier Masōmī

O local é, portanto, activado durante o dia pelos artesãos, espaços de recreação, lazer e iluminado à noite para receber vendedores de alimentos e moradores da cidade à procura de entretenimento casual e socialização. A área, actualmente abandonada, sem iluminação e considerada perigosa, se tornará um dos espaços públicos mais seguros da cidade, permitindo que se descubra uma exibição cinematográfica ou que as pessoas passeiem com os amigos para piqueniques nocturnos – que são um dos pontos principais do evento cultura local devido ao calor do deserto durante o dia.

Vista nocturna para a área cinematográfica ao ar livre © Atelier Masōmī

Ao apropriar-se e manipular a forma circular do celeiro, o projecto enfrenta muitas divisões na paisagem arquitectónica do Níger, tais como “rural” versus “urbano”, “africano” versus “contemporâneo”, “local” versus “ocidental”. “Ele injecta, sem remorso, uma forma tradicional numa paisagem urbana que quer se distanciar dessas formas em nome da modernidade, contemporizar e normalizar. As conchas e os espaços contidos serão construídos por pedreiros, tecelões e trabalhadores de metal locais, também artesãos por direito próprio, para produzir uma experiência imersiva à medida que se passeia pelas estruturas filtradas de luz.

Vale dos Artesãos. © Atelier Masōmī

Deixar uma resposta

Navegar