“O Impacto da Pandemia do Covid-19. Na Arquitectura, Urbanismo e Ordenamento do Território em Angola – Contribuições e Reflexões”. E-Book.

A pandemia causada pela Covid-19 (doença causada pelo vírus SARS-CoV-2) impôs ao mundo um confinamento obrigatório e redefiniu, mesmo que temporariamente, a forma como vivemos as nossas cidades e interagimos com o mundo físico ao nosso redor. Esta mudança levou a que muitos especialistas, das mais variadas áreas, se pronunciassem sobre o que seria o futuro das cidades, visto que os espaços públicos – resultados do carácter sociável do ser humano e operacionalização da nossa vida colectiva – passaram a obsoletos, ainda que temporariamente. A pandemia acelerou também processos já em curso, que se processavam até agora de forma lenta na maior parte dos países, nomeadamente a desmaterialização do espaço/território físico e afirmação dos ambientes virtuais como interfaces de interacção com a realidade.

No nosso caso – Angola e os países em vias de desenvolvimento no geral -, a pandemia veio também revelar problemas e oportunidades na nossa organização social e no funcionamento das nossas cidades. Não que os problemas de que falamos não fossem conhecidos, mas com a pandemia estes foram postos a descoberto (em alguns casos) e/ou foram agudizados noutros. Estes problemas vão desde a falta ou deficiência nos modelos de planeamento e gestão urbana; falta ou deficiência nas infra-estruturas técnicas, falta de uma estrutura de protecção social que diminua o impacto da pandemia nas populações mais vulneráveis, entre outros. É neste contexto que um grupo de profissionais, por iniciativa do arquitecto Ilídio Daio, compilou uma série de textos que resultam dos lives realizados na rede social Facebook. Entre os vários profissionais temos: Ana Inglês Fortes, Ângela Cristina de Branco Lima Mingas, Allan Cain, Gauthier Francisco da Silveira, Belisário Alexandre C. dos Santos, Henrique Santos, Filomena das Dores Cardoso do Espírito Santo Carvalho, Paulo Filipe, Rogério Paulo Freire Pinto Rodrigues de Brito, Wilfred Figueiredo, Pedro Mvemba Cidade ”Nfinda Moyo” e Yonara Freitas.

O E-Book teve o patrocínio da Universidade Lusíada de Angola e o projecto gráfico esteve a cargo do CEICA. Segue o prólogo escrito pelo arquitecto Ilídio Daio:

Pandemia do COVID 19, veio a exacerbar e ressaltar as várias deficiências sanitárias e de saneamento nos países em Vias de Desenvolvimento, em particular Angola que já carrega o fardo das sucessivas recessões económicas.
As periferias dos principais Polos Urbanos, tendo Luanda como caso paradigmático, com quase 1/3 da População do país, onde 80% dos mesmos vivem em condições urbanas muito precárias, onde a falta de saneamento básico, altas densidades construídas e populacionais, sobrelotação das moradias (3 pessoas por cómodo), inacessibilidade para serviços urbanos (bombeiros, recolha de resíduos sólidos, polícia), falta de espaço público e áreas verdes, ventilação cruzada, condições internas de insalubridade, forte dependência do Sector Informal seja pelo auto-emprego ou aquisição de bens e serviços, dificuldade de acesso à segurança alimentar e aos serviços sanitário.
Com todos estes ingredientes, o confinamento e distanciamento social, afigura-se como “Missão quase Impossível”, apresentando complexos desafios para tornar resilientes os agregados mais vulneráveis e evitar a todo custo a contaminação comunitária.

Capa do E-Book. © Gauthier da Silveira

 

As medidas impostas pelas autoridades sanitárias para a redução de infecções, têm um componente espacial muito forte que modifica a maneira de habitar os espaços.
Por sua vez, nestes contextos extremamente precários, as medidas de confinamento domiciliar são uma utopia que a população dos bairros suburbanos não pode alcançar, expondo-se a novas vulnerabilidades diante da ameaça biológica representada pelo COVID-19 e agregando às condições socioeconómicas preocupantes, tendo implicações económicas negativas directas, exacerbando ainda mais as fortes desigualdades sociais existentes.

Nessa perspectiva, e aproveitando o confinamento mas promovendo uma aproximação social nas redes virtuais de diálogo, num acto de cidadania um grupo de especialistas multidisciplinares abordou de forma holística Medidas de Mitigação do Impacto do COVID 19, com o propósito de formular algumas reflexões e recomendações de curto médio e longo prazo em diferentes temáticas como: Planeamento e Gestão Urbana, Habitabilidade Básica, Comércio Informal, Segurança Alimentar, Governança a, Saúde e Cuidados de Higiene.
A publicação destas recomendações assume-se como marco e registo desta voluntária inédita colaboração multidisciplinar que se pretende profícua e eficiente em parceria com as instituições afins.

Para ler a obra na íntegra, deixamos aqui o link para download. Caso queira ver publicado na nossa plataforma um artigo ou trabalho seu, envie-o para o geral@thesanzala.com.

 

Deixar uma resposta

Navegar